quinta-feira, 24 de maio de 2018

Leasing, Factoring e Capital de Risco

1. Supõe que desejas adquirir um automóvel que custa 25.000 €. Identificaste o leasing como boa opção de financiamento e desejas pagar a viatura em 48 meses. 
Determina (faz print screen) a (a) entrada inicial (Sugestão: 5.000 €), o (b) valor do aluguer mensal e o (c) valor residual (Sugestão: 1.000 €). 


2. Caracteriza o leasing.
O leasing é um tipo especial de financiamento do investimento que consiste na cedência temporária do uso de um bem por parte do proprietário, o locador ou sociedade de leasing a um terceiro o utente ou locatário mediante o pagamento de uma renda ou aluguer.

3. Refere as vantagens do leasing relativamente a outras alternativas de financiamento.
As vantagens do leasing são:
o financiamento a 100%, o financiamento de fácil acesso e de análise e tomada de decisão rápida, é simples na tramitação processual, a entrega do bem e liquidação ao fornecedor é rápida, as suas prestações são inferiores de outros produtos financeiros porque,na base de cálculo das rendas não está incluído o IVA da transação, e o pagamento de parte do capital é posto no fim do contrato, sinistros cobertos por seguro, isenção do Imposto de Selo.

4. Caracteriza o factoring.
A atividade de factoring envolve 3 elementos o fator, os cedes dos créditos e os devedores. As empresas aderentes a um contrato de factoring cedem os créditos que constituíram sobre os seus clientes ( os devedores ) ao fator desempenha desta forma o papel de intermediário financeiro.

5. Refere as vantagens do factoring relativamente a outras alternativas de financiamento.
As vantagens em relação a outras alternativas são são, por exemplo quando uma empresa é demasiado pequena para ser eficiente na escrituração (contabilização) das vendas ou quando a empresa precisa de dinheiro e quer acelerar os pagamentos que lhe são devidos
6. Compara a actividade das sociedades de capital de risco com a actividade dos bancos, sintetizando em menos de 200 palavras a generalidade dos aspectos referidos na página 9 deste Guia.
   No capital de risco paga-se na perspectiva de médio e longo prazo há empenhamento total até ao desinvestimento, o investidor disponibiliza o financiamento com objectivos de crescimento e valorização do negócio, o pagamento de dividendos e amortização do capital dependente dos resultados da empresa , a rentabilidade do Capital de Risco está dependente dos resultados do negócio. No caso de o negócio for inviável, o Capital de Risco fica na mesma posição de qualquer outro sócio da empresa.
  Se algo correr mal, o Capital de Risco irá trabalhar em conjunto com o seu parceiro de negócio para encontrar as melhores soluções e o Capital de Risco é um parceiro da empresa, que partilha os riscos do negócio e que contribui para a sua gestão e valorização.
  No endividamento paga-se a quando o individuo tiver lucro, a análise do risco de solvabilidade e exigência de garantias patrimoniais, quanto mais conservadora a situação patrimonial e financeira da empresa, mais o recurso ao crédito fica facilitado, a imposição de planos pré-definidos de reembolso e pagamento de juros e o retorno depende apenas do cumprimento do plano de pagamentos e da manutenção dos activos apresentados em garantia.
  As garantias conferem aos financiadores tradicionais uma posição credora privilegiada, se existirem sinais de problemas, os financiadores tradicionais procurarão renegociar a dívida, impondo mais garantias ou precipitando o reembolso, para salvaguardarem a sua posição.

Sem comentários:

Enviar um comentário