terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Taxa de Inflação e Índices de Preços, Questões de Exame - 2016

I

Utilizando o ficheiro de ajuda, calcula a Taxa de Inflação em Portugal e na Área Euro de 2011 a 2014.

1. Completa as tabelas acima utilizando 2 casas decimais e personalizando as imagens.
2. Indica em que ano, (A) em Portugal e (B) na Área Euro:
a) Os preços estavam mais baixos;
A) 2010
B)2010
b) Os preços estavam mais altos; 
A)2014
B)2014
c) Os preços subiram mais; 
A)2011
B)2011
d) Os preços subiram menos. 
A)2014
B)2014

3. Explicita o conceito de taxa de inflação implícito neste exercício.
R: A taxa de Inflação implícita neste exercício é a taxa de Inflação anual que é calculada de ano em ano.

4. Interpreta para 2012 (A) em Portugal e (B) na Área Euro:
a) O Valor do Cabaz;
A) Em 2012 com 532,50€ podia comprar os mesmos bens que  comprava com 518€ em 2011.
B) Em 2012 com 1052,68€ podia comprar os mesmos bens que comprava com 1027€ em 2011
b) O Índice de Preços no Consumidor com 2010=100;
A)Em 2012 com 106,5 € podemos comprar a mesma quantidade de bens que em 2010 comprávamos com 100€
B) em 2012 com 105,27€  podemos comprar a mesma quantidade de bens que em 2010  com 100€
c) O Índice de Preços no Consumidor em cadeia;
A)Em 2012 com 102,80€ podemos comprar a mesma quantidade de bens que em 2011 comprávamos com 103,60€
B)Em 2012 com 102,50€ podemos comprar a mesma quantidade de bens que em 2011 comprávamos com 102,70€
d) A Taxa de Inflação.
A)Em 2012 os preços subiram 2,80% a mais que em 2011
B)Em 2012 os preços subiram 2,50% a mais que em 2011

5. Supõe que o sr. Silva, residente em Portugal, recebia 800 € em 2011 e foi aumentado para 820 € em 2012. Indica o ano em que teve maior poder de compra. Justifica apresentando os cálculos efectuados.
O senhor Silva perdeu poder de compra pois a taxa de infla~çao (2,8%) é maior que a percentagem do aumento do seu salário (2,5%)
II
Considera o gráfico abaixo.
Fonte: Destaque do INE, 13/Jan/2013. 
01 Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas 
02 Bebidas alcoólicas e tabaco 
03 Vestuário e calçado 
04 Habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis 
05 Acessórios, equipamento doméstico e manutenção corrente da habitação
06 Saúde 
07 Transportes
08 Comunicações 
09 Lazer, recreação e cultura
10 Educação 
11 Restaurantes e hotéis
12 Bens e serviços diversos

1. Partindo do Gráfico 2 calcula as taxas de inflação em 2011 e 2012.
2011-3,65%
2012- 2,89%

2. Identifica as três categorias em cada um dos anos, em que os preços:
a) Cresceram mais;
2011 - 7
2012 - 4
b) Cresceram menos.
2011 - 10
2012 - 8

3. Identifica a categoria em que os preços baixaram mais. 
categoria 3
III
Assinala com X a resposta correcta às seguintes questões dos exames de 2016.


quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

A estabilidade de preços é importante porquê?

1. “Com uma moeda estável como o euro, podes também ter a certeza de que com a tua nota poderás comprar sempre uma quantidade idêntica de bens e serviços. Contudo, se o teu dinheiro perdesse valor de forma considerável, então tu deixarias de ter confiança nele. Uma moeda tem valor porque as pessoas confiam nela”. (p. 2)
1.1. Destaca do parágrafo acima uma expressão que enfatize a importância da função de reserva de valor da moeda, num contexto de estabilidade de preços.
"com a tua nota poderás comprar sempre uma quantidade idêntica de bens e serviços."
1.2. O Euro é moeda fiduciária. Justifica. 
Sim porque a moeda circula devido á confiança se os outros confiam e o utilizão nós também podemos confiar e utilizar
2. “A moeda simplifica as nossas vidas de três maneiras.” (p. 3)
2.1. Explicita as três funções da moeda.
As três funções da moeda são a unidade de troca em que a moeda é geralmente aceita para a  aquisição de bens quando por exemplo dou 200€ em troca de um calçado.
A outra é medida de valor que sabendo o preço unitário de uma unidade sabemos o preço unitário de n  unidades.
E a reserva de valor em que nós podemos optar por guardar a moeda para a utilizar futuramente

3. “Os índices de preços no consumidor – utilizados para verificar a estabilidade dos preços – são compilados uma vez por mês recorrendo ao que se designa por “um cabaz de compras”. Este cabaz contém, uma ampla variedade de produtos habitualmente consumidos por uma família representativa. O preço total do “cabaz de compras”, como uma medida do nível geral de preços, é depois verificado periodicamente para ver quanto é que os preços estão a subir”. (p. 4) 
3.1. Explicita o conceito de família representativa.
A família representativa é aquela que adquire os bens.
3.2. Explicita o conceito de cabaz de compras.
O cabaz de compras é o conjunto de bens que são consumidos pelas pessoas no geral.
3.3. Indica como se calculam os índices de preços no consumidor.
(valor de cabaz de um ano / valor de cabaz do ano base ou do ano anterior) x 100

4. Definição: A inflação é a subida generalizada e sustentada dos preços.
  • Se apenas subissem os preços de alguns bens, os consumidores poderiam adaptar-se a novos padrões de consumo, evitando os efeitos nefastos da inflação. 
  • Se os preços não subissem durante um período considerável de tempo, mas apenas num determinado momento, dir-se-ia que se verificou apenas uma alteração do nível geral de preços, passando para um patamar diferente no referido momento. Os preços teriam subido, mas o fenómeno não se diz inflação se não tiver continuidade.
4.1. Explicita na definição de inflação, o significado das seguintes expressões: a) Generalizada; b) Sustentada.
a) Inflação é generalizada quando quando aumenta o preço de quase todos ou todos bens
b) Inflação sustentada é quando os preços aumentam de uma forma continua
4.2. Refere as seguintes causas da inflação: (p. 5)
a) Por excesso da procura;
Quando há excesso de procura e não há disponibilidade para toda gente há pessoas que se oferecem para dár um preço maior logo os preços sobem
b) Por aumento dos custos de produção.
4.3. “A deflação pode ser definida como sendo o oposto da inflação, isto é, (...)”. (p. 6) Completa a definição de deflação fazendo copy/paste.
"como uma situação em que o nível geral de preços desce ao longo do tempo."
5. “Os preços são considerados estáveis se, em média, não subirem (como em períodos de inflação) nem descerem (como em períodos de deflação) ao longo do tempo”. (p. 6)
Completa. 
em média
6. A estabilidade de preços promove o crescimento económico e o emprego porque os consumidores e as empresas podem tomar decisões mais informadas se os preços forem comparáveis. (p. 7/8)
6.1. Refere-te ao interesse da estabilidade dos preços na perspectiva dos consumidores. 
Com estabilidade dos preços podemos saber os preços futuramente logo os consumidores poderão fazer escolhas mais ou menos acertadas
6.2. Refere-te ao interesse da estabilidade dos preços na perspectiva das empresas. 
Nas empresas a estabilidade dos preços é importante porque se os preços variarem pouco os empresários poderão mais ou menos saber os preços futuros logo saberão  onde investir tomando também escolhas mais acertadas agora se os preços variarem muito será difícil comparar os preços
7. “Quando os preços são estáveis, os detentores de poupanças e os credores estão dispostos a aceitar taxas de juro mais  mais baixas dado que esperam que o valor do seu dinheiro permaneça igual por períodos mais longos. Caso contrário, iriam querer uma garantia contra a incerteza quanto ao valor futuro do seu dinheiro e passariam a exigir taxas de juro mais elevadas para os seus depósitos e empréstimos”. (p. 8)
Completa.
mais baixas
8. “Como resultado, os devedores beneficiam de taxas de juro mais  baixas. Isso significa que os custos de endividamento das empresas que desejam comprar máquinas mais modernas e das pessoas que pretendem um empréstimo para comprarem, por exemplo, um carro ou uma casa são mais baixos. Encorajar as empresas a investirem deste modo contribui para um aumento da sua competitividade e cria postos de trabalho adicionais. Esta é outra razão por que preços estáveis são um contributo tão importante para o crescimento económico e o emprego”. (p. 9)
Completa.
baixas
9. “Regra geral, os grupos mais desfavorecidos da sociedade são os que frequentemente mais sofrem com a inflação, dado que as possibilidades que têm para se protegerem são limitadas”. (p. 9) 
Refere-te aos aspectos sociais da estabilidade dos preços comparando aqueles que usufruem de rendimentos fixos (salários e pensões, por exemplo) com os que detêm rendimentos variáveis (os lucros variam com as vendas). 
Quando a inflação aumenta os indivíduos com rendimento fixo são os menos favorecidos pois como os preços aumentam o individuo terá menos poder de compra, enquanto os indivíduos com rendimentos variáveis, nomeadamente os empresários, com o aumento da inflação , podem aumentar os preços dos bens que produzem e ter mais rendimento, pois o custo de produção será menor que o preço de venda.

10. “A política monetária do BCE visa manter a taxa de inflação anual na área do euro num nível muito baixo, ou seja, num nível inferior mas próximo de 2 % a médio prazo”. (p. 10)
10.1 Explica porque é desejável uma taxa de inflação de 2% comparativamente a 0%.
Com a taxa de inflação a 0% é mais provável que os preços desçam, logo as pessoas adiam o consumo dos bens e por isso a economia entra em recessão, enquanto com 2%, como os preços aumentam, as pessoas não adiam o consumo, logo a economia não entra em recessão.
10.2 Explica porque seria perigoso para a economia a descida dos preços. 
Ao haver uma descida de preços as pessoas ao saberem adiam o consumo para poderem consumir mais tarde e mais barato, portanto a economia entraria em recessão.
10.3 Indica os países que pertencem à Área do Euro desde 2007.
Chipre, Eslováquia, Eslovénia, Estónia, Letónia, Lituânia, Malta,

11. Procure na web uma definição, e faça link para o site onde encontrar os seguintes conceitos:
11.1 Desinflação;
11.2 Estagflação


II
A inflação (1) deprecia o valor da moeda e (2) deteriora o poder de compra. Preenchendo este ficheiro, estude o efeito das conjunturas de preços estáveis e das conjunturas inflacionistas. Comenta o preço dos bens e o poder de compra da moeda a 10 anos.



O preço do CD

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Cálculo da Taxa de Inflação

1. Explicita os seguintes conceitos associados à taxa de inflação:
a) IPC; 
Serve para comparar os valores anuais
b) Taxa de variação mensal;A taxa de variação mensal é  a comparação do IPC de um mês com o outro por exemplo o IPC de Janeiro com o de Março  
c) Taxa de variação homóloga;
A taxa de variação homologa é a comparação entre meses correspondentes de anos diferentes por exemplo Fevereiro de 2016 e Fevereiro de 2017
d) Taxa de variação média.
A taxa de variação média é a média do índice nos últimos 12 meses do ano em relação à média dos 12 meses anteriores.
2. Indica - consultando o site do INE - os valores da taxa de variação homóloga, em Dezembro de 2017, no Continente, para as seguintes rubricas:
a) Total excepto habitação
1,48%
b) Total excepto produtos alimentares não transformados e produtos energéticos
1,16%
c) Total excepto produtos alimentares não transformados
1,35%
d) Total excepto produtos energéticos
1,29%
e) Produtos alimentares não transformados
2,26%
f) Produtos energéticos 
3,18%

3. Indica em que grupo do ponto anterior:
a) Os preços subiram mais;
Produtos energéticos
b) Os preços subiram menos;
Total exceto produtos alimentares não transformados e produtos energéticos
c) Os preços desceram mais;
Não há nenhum grupo com preços descendentes
d) Os preços desceram menos.
Não há nenhum grupo com preços descendentes

4. O Índice de Preços pode calcular-se com base constante, isto é, sempre com o mesmo ano base (2011=100 significa que 2011 é o ano base), ou com base móvel. O IPC em cadeia calcula-se tomando como base de cálculo em cada ano t, o ano anterior, t-1.
4.1. Completa a tabela no ficheiro de ajuda com Taxa de Inflação de 2003 a 2017.
4.2. Indica em que ano:
a) Os preços estavam mais baixos; 
2003
b) Os preços estavam mais altos;
2017
c) Os preços subiram mais;
2011
d) Os preços subiram menos;
2013
e) Os preços desceram mais;
2009
f) Os preços desceram menos.
2014

4.3. Explicita o conceito de taxa de inflação implícito neste exercício.
A taxa de inflação é a media do crescimento dos preços do ano t em relação ao ano t-1 ou seja o ano anterior. É o cálculo efetuado para controlar o crescimento dos preços.

4.4. Interpreta para 2017:
a) O Valor do Cabaz;
Com 1580,820 € em 2017 podemos comprar a mesma quantidade de bens que em 2011 comprávamos com 1500€
b) O Índice de Preços no Consumidor com 2011=100;
Com 105,388€ em 2017 podemos comprar a mesma quantidade de bens que em 2011 comprávamos com 100€
c) O Índice de Preços no Consumidor em cadeia; 
Com 101,4€ em 2017 podemos comprar a mesma quantidade de bens que em 2016 comprávamos com 100,6€
d) A Taxa de Inflação.
Em 2017 os preços subiram 1,4% a mais que em 2011

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Preço de um bem - noção e componentes

1. Explica o paradoxo da água e do diamante utilizando os conceitos de valor de uso e valor de troca.
A água é um bem com um valor uso elevado, ou seja é muito útil no dia a dia para as pessoas, mas quanto ao seu valor de troca, a água tem um valor de troca muito baixo, pois é um bem que não pode pagar quase nenhum bem. Em relação ao diamante, é um bem com um valor de uso muito baixo, pois na maioria dos casos o diamante serve só como bem luxuoso, mas em relação ao seu valor de troca, o diamante tem um valor de troca muito elevado pois é um bem que se pode trocar por uma grande quantidade de bens.

2. Explica o paradoxo da água e do diamante utilizando os conceitos de utilidade total e utilidade marginal.
A água é um bem que tem uma utilidade total muito elevada, pois é um bem que é necessário para as pessoas viverem, já o diamante tem uma utilidade total baixa pois não é necessário para uma pessoa viver. No entanto a utilidade marginal de um diamante é muito maior que a utilidade marginal da água, pois o valor de um diamante é mais elevado que o valor da água, mas a utilidade da água é maior que a do diamante.

3. Refere três factores que influenciam a formação dos preços.
Três fatores são: o custo de produção do bem, o número de vendedores e compradores ( ou seja o mercado ) e o seu valor de troca.

4. Comenta a importância da estrutura do mercado na formação dos preços, referindo dois exemplos de mercado concorrencial e dois exemplos de monopólio.
No mercado concorrencial os como temos muitos produtores e muitos consumidores nenhum deles tem poder no mercado logo são aceitantes do preço estabelecido no mercado. O monopólio caracteriza se por apenas termos um só produtor a abastecer todo o mercado neste caso irá estabelecer-se uma regulação eficaz para evitar que abuse do seu poder de mercado, impondo preços demasiado altos. Exemplos mercado concorrencial são os cafés e a restauração. Exemplos de monopólio a distribuição de água canalizada é monopólio do SMAS, não constituindo a água engarrafada uma alternativa comparável, nem havendo a possibilidade de se instalar no mercado outro fornecedor. Portanto as suas tarifas são reguladas, para evitar que nos imponha preços excessivos.

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

História e tipos de moeda

1. Distingue troca directa de troca indirecta.
Troca direta é quando trocamos um bem por outro bem e a troca indireta é quando trocamos um bem por dinheiro e o dinheiro por um bem
2. Apresenta exemplos de bens que tenham sido utilizados como moeda.
Peles, animais, conchas, sal, ouro
3. Define moeda-mercadoria.
Diz se moeda mercadoria á mercadoria que é utilizada como moeda 
4. “Para que um bem apenas sirva como moeda, esse bem deve ser inútil”. Justifica.
Não é sustétivel usar ouro ou outro material de valor como material das moedas pois assim podiam-se derreter as moedas e obtia-se lucro ao derreter as moedas logo as moedas desapareciam. Então o material para o fabrico de moedas tem de ser um material sem valor para que as moedas não sejam derretidas e usadas como fonte de rendimento.
5. Indica as características que um bem deve apresentar para funcionar adequadamente como moeda.
As características são a divisibilidade, durabilidade, que seja aceite por grande maioria destas pessoas ( aceitabilidade geral ), reduzida procura não monetrária, prática de movimentar e dificilmente falsificável.
6. Define moeda de papel (primeiras notas).
Inicialmente quando as pessoas depositavam o dinheiro no cambista recebiam recibos em papel com o valor da quantidade que foi depositada e quando quisessem levantar mostravam o recibo e recebiam a quantidade de metais preciosos que consta no recibo. Em suma a moeda papel é conversivel por metais preciosos 
7. Explicita o conceito de moeda fiduciária (da expressão latina fiduciariu, que depende de confiança).
Moeda que circula com base na confiança hoje aceitamos euros porque sabemos que os  outros também aceitam 
8. Explicita o conceito de papel-moeda.
Nota que é inconvertivel ou seja não é conversivel por metais preciosos. Esta é a moeda atual.
9. Define moeda escritural.
Temos que escrever o valor do dinheiro levantado no cheque, o dinheiro escrito no cheque tem que enquadrar o dinheiro que se encontra na nossa conta bancária
10. Define moeda de plástico.
A moeda de plástico substituiu as moedas trocos e a moeda escritural, a moeda está sob forma de cartões de plástico a sua utilização actualmente é cada vez mais comum
11. Define moeda electrónica.
Diz se moeda eletrónica quando a conta bancária é movimentada diretamente quer para debitar o saldo ou pagar contas como por exemplo da água e da luz por transferência bancária 
12. Relaciona a evolução tecnológica com o processo de desmaterialização da moeda.
Com a evolução da tecnológica no caso da moeda eletrónica que limita se a registar em contas bancárias não sendo necessário qualquer bem material para que funcione. O processo de desmaterialização da moeda começou com a sua invenção mas só foi possivel atingir ete nível graças ao recente desenvolvimento das tecnologias da informação.
13. Distingue diversos tipos de cartões bancários: débito, crédito e pré-pagos. 
existem 3 tipos de moeda de plástico o cartão de débito que permite movimentar dinheiro da sua conta até ao limite do seu saldo da conta bancária o banconão corre nenhum risco em dar cartões a alguém porque o individuo usa o seu próprio dinheir, o cartão de crédito no qual o banco da um plafom , podemos usar apenas o dinheiro dentro do plafom no final do mês o dinheiro que não pago do cartão de crédito passa a divida com juros este cartão apenas é atribuido a pessoas de confiança, e por ultimo o cartão prépago que é aquele em que depositamos dinheiro e podemos utilizar apenas a importância previamente carregada.

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Conceito e funções da moeda

1. Apresenta um conceito de moeda.
A moeda é uma unidade de troca que estabelece um valor comum entre os bens e que é geralmente aceite por toda gente. É um meio de pagamento.

2. Explicita as funções da moeda apresentando exemplos.
  A moeda pode ser utilizada como um meio de troca, ou seja , podemos trocar a moeda por um bem desejado, como por exemplo nós queremos comprar um automovél, então temos que trocar a moeda pelo automovel
  Sabendo o preço de uma unidade podemos saber o preço de n unidades (Unidade de conta)
  Podemos optar por guardar a moeda para usar futuramente (reserva de valor)