terça-feira, 28 de novembro de 2017

Respostas das pergunta dos exames


População ativa = População total - população inativa = 8000-3000 = 5000 milhares
População desempregada = (5000 x 13)/100 = 650 milhares

Resposta: (C)


Resposta: Opção (C) Porque quando produz se mais o custo unitário aumenta


A lei que traduz a situação evidenciada no gráfico é a Lei dos rendimentos decrescentes, pois até ao trabalhador 7, o acréscimo da produção aumenta com o número de trabalhadores. Após o 7º trabalhador o acréscimo na produção diminui conforme os trabalhadores aumentam.

 
Taxa de atividade = população ativa/população total x 100 = 5500/10200 x 100 = 53,9%

População empregada = 5500-5200=300

Taxa de desemprego = população desempregada/população ativa x 100 = 300/5500 x 100 = 5,5%
Opção (D)
´

R: Opção (B) Quanto mais a empresa produzir menor será o custo unitário.

R: Opção (D)Janeiro  CFM  3,33      CVM 12       CTM 15,33
                     Fevereiro         1,67                  9                  10,67


47,9% - 5103,5 (população inativa)
52,1% -    x

x = 52,1x 5103,5/ 47,9 = 5551,0
5551 + 5103,5 = 10,654,5 ( milhares de individuos )


Opção (C) 
Pop ativa = 8000(Pop.total - Pop.inat) 
Setor primario+secundario+terciario=100%
100-(Setor primario+secundario)= % setor terciario
100-80=20%
setor tericiario = 20% x 8000/100= 1600
                 


Opção (A)

                               
                     Trabalha        Produtividade Média         Produtividade total                Produti. Marginal
20 de maio        5                                                242                           1210
dia seguinte      6                                                                                  1830                               620

Opção (D) verificasse que a partir do sexto trabalhador a produtividade acrescentada pelo trabalhador e menor que a dos anteriores por isso diz se que os rendimentos são decrescentes
               Trabalhadores    Produtiv.marginal       Produção total        Produtividade Média
                       1                    100                           100                             100
                       2                    200                           300                             150
                       3                    300                           600                             200
                       4                    400                           1000                           250
                       5                    600                           1600                           320
                       6                    700                           2300                           383.3
                       7                    600                           2900                           414.3
                       8                    400                           3300                           412.5
                       9                    300                           3600                           400
                       10                  150                           3750                           375
                     

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Combinação dos factores de produção

1. Completa a tabela e interpreta a linha correspondente a Q=4.

A linha correspondente a Q=4 simboliza a quantidade ideal a ser produzida pois é a que tem o custo unitário mais baixo, ou seja de Q=1 a Q=4 é apresentada uma economia de escala ou pois produzimos mais e o custo unitário é mais baixo e o custo marginal é menor que o custo unitário, e de Q=4 e Q=8 apresenta-se uma deseconomia de escala pois a partir de Q=4 ao se aumentar a produção aumenta o custo e o custo marginal é maior que o custo unitário. 

2. Representa graficamente CT=CF+CV. Justifica a configuração das curvas.
Os custos fixo são os custos que não variam independentemente da produção ser maior menor ou até estar parada. O custo variável varia com a quantidade trabalhadores e capital e é sempre menor que o custo total pois o custo total é a soma dos custos variável e fixo e é sempre o custo maior .
3. Representa graficamente a relação entre o Custo Marginal e os Custos Médios (CFM, CVM e CTM). Justifica a configuração das curvas. 

Os custos marginal cruza-se com o custo fixo médio no seu ponto mais baixo. A quantidade ideal a ser produzida é quando o custo marginal se cruza com o custo total médio.
4. Indica a combinação óptima de factores correspondente aos salários de 5 ao custo da capital de 5,5 na tabela que ficou incompleta na segunda imagem deste post

A combinação perfeita é a C porque é a que tem menor custo.
5. Relaciona as economias de escala com a concentração que se verifica em muitos ramos da actividade económica: banca, automóvel, distribuição de combustíveis, distribuição a retalho, etc.
As economias que se verificam em muitos ramos de atividade são as economias fiscais que produzindo mais o custo monetário baixa como por exemplo temos menos bancos e os bancos têm  mais clientes por isso o custo por cada cliente e mais reduzido. Numa empresa de automóveis se produzir se muitos veiculos o preço por cada veiculo será mais reduzido.
6. “Se as escolas forem muito grandes, as pessoas deixam de conhecer-se e o anonimato contribui para o aumento da indisciplina”.
6.1. Comenta utilizando o conceito apropriado. deseconomias porque ter mais alunos tem um custo mais elevado
6.2. Refere outros factores, como (a) a lotação das salas, (b) a dificuldade em conseguir melhores horários, (c) o distanciamento da direcção relativamente a alunos, professores e pais.os custos relaçionados com a organização da empresa e as tecnologias adaptadas pelas empresas
6.3. Aponta alguns factores que possam justificar as deseconomias de escala nas empresas. 
Partindo de uma leitura de Alfred Marshallapresenta três argumentos que justifiquem a concentração empresarial partindo das economias de escala.
Uma grande empresa compra em grandes quantidades e, portanto, barato; paga taxas de carga reduzidas, poupando nos transportes;Vende frequentemente em grandes quantidades, poupando trabalho.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                         

SUGESTÕES DE LEITURA: Economias de escala e tendência para a fusão, Larga escala e rentabilização de maquinaria, Larga escala e economia de competências, Larga escala e atracção de trabalhadores excepcionais, Larga escala e homens de confiança. 

terça-feira, 21 de novembro de 2017

O conceito de capital

1. O conceito de Produtividade apresenta duas variantes: Produtividade do Trabalho e Produtividade Total dos Factores. Distingue-as.
Existem 2 conceitos de produtividade a do trabalho  que é igual á produção sobre o numero de trabalhadores e a produtividade total dos fatores que é igual á produção sobre os fatores produtivos que são o capital(K) e o trabalho(L) .
2. Comenta o valor da Produtividade do Trabalho na economia portuguesa comparativamente aos restantes países da União Europeia. 
Sugestão: Compara (a) Portugal vs. Países Fundadores da UE e (b) Portugal vs. Países que entraram na UE após 2004. (Que países são?) 0a

3. Como podemos melhorar a produtividade?
Para melhorar a produtividade podemos aumentar o numero de trabalhadores mas de modo a que a produção seja maior que o numero de trabalhadores
4. Que factores determinam a produtividade?
Os fatores que determinam a produtividade são os equipamentos modernos a organização e a qualificação do ttrabalho
5. Compara a produtividade em Portugal com a dos 5 países onde é mais elevada e com a dos 5 onde é menor. (Utiliza o link do ponto seguinte.)


6. Constrói no Excel um gráfico ilustrando a Produtividade em Portugal relativamente à União Europeia a partir da Produtividade laboral por hora de trabalho (PPS, UE28=100)Comenta.
SUGESTÃO: Além da média da UE, selecciona ainda dois países contrastantes, ie. um de elevada, outro de reduzida produtividade. 
um pais rico e um pais pobre

7. Explicita a relação que se deve observar entre o salário e a produtividade marginal, quando um empresário decide contratar mais um trabalhador. 
Quando contratamos mais um trabalhador o empresário tem que ter em conta o salário e a produtividade marginal se a produtividade marginal acrescentada por esse trabalhador for maior que o seu salário ou que a produtividade do anterior , o empresário conclui que rendeu o contratamento desse trabalhador como por exemplo se o salário desse trabalhador for 600€ e a produtividade acrescentada for de 700€ houve um lucro de 100€ .

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Lei dos Rendimentos Decrescentes

1. Explica os seguintes conceitos:
- combinação dos factores produtivos  É a combinação de trabalho, capital e tecnologia
- função de produção  Obtem-se através dos fatores de produção trabalho, da tecnologia e do capital
- factores de produção São o trabalho, tecnologia e capital
- complementaridade dos factores Os fatores são necessários um para os outros
- substituibilidade dos factores Podem ser de curto prazo ou de longo prazo

2. Distingue o curto prazo do longo prazo tendo em vista a produção.
Numa produção de longo a tecnologia o trabalho e o capital variam  enquanto que na produção de curto prazo a tecnologia e o capital são dados e o trabalho varia.
3. Enuncia a lei dos rendimentos decrescentes. Mantendo constante o valor de um fator produtivo, ao acrescentar-se mais outro, a produtividade marginal diminui num certo ponto.
4. Define:
- Produto Marginal/Produtividade Marginal É o produto adicionado por 1 unidade adicional desse factor, mantendo os restantes factores constantes.
- Produto Médio/Produtividade Média É a produção total dividida por todas as unidades do fator de produção

5. Preenche a tabela que se encontra aqui, e constrói um gráfico que ilustre a relação entre a Produção Total, o Produto Marginal e o Produto Médio. Publica imagens da tabela e do gráfico.
6. Observando a tabela construída no ponto anterior.
a) Interpreta a linha correspondente ao trabalho = 3; Quando o trabalho é 3 a produção total é 5250 a produção marginal é 750 e o sue valor obtém se quando subtraimos a produção total atual pela anterior 5250-4500=750 e a produção média é 1750 o seu valor obtém se quando dividimos a produção total pelo trabalho 5250/3=1750 
b) "Quando o produto marginal é decrescente, o produto médio também decresce". JustificaIsto acontece porque como o produto marginal é o trabalho acrescentado ao do ultimo trabalhador se a produtividade deste trabalhador estiver abaixo da média isto contribuirá para o decréscimo da média.
c) Identifica a coluna que expressa a lei dos rendimentos decrescentes.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Capital

1. Apresenta um conceito de “riqueza”.  Riqueza é quando o individuo tem dinheiro .

2. Distingue os novos-ricos dos novos pobres, relacionando-os com os conceitos de mobilidade social e desigualdade na repartição do rendimento. Novo pobre é um individuo de classe média que ganha o que gasta. Se ficar desempregado o individuo fica com dividas acumuladas resultando na pobreza. Novo rico é como se chama a um individuo que enriquece rapidamente com as bolhas dot.com (mercados online)

3. Indica as actividades desenvolvidas pelos portugueses mais ricos em 2012, e compara-a com a lista de 2017Indica as alterações nas primeiras 5 posições deste ranking
Em 2012 a família Amorim encontrava se em 2º lugar no ranking com atividades desenvolvidas a GALP Corticeira Amorim a Banca e a Agricultura, em 1º está Alexandre Soares com Jerónimo Martins e o Pingo Doce, em 3º a Família Guimarães de Mello com a Brisa a CUF o EFACEC EDP Saude e o BCP, em 4º Belmiro de Azevedo com a Sonae e o Continente e em 5º está a Família Alves Ribeiro com atvidades desenvolvidas Consultores, Contrução e o Amoreiras Shopping.
Em 2017 a Família Amorim passa a ocupar o 1º lugar no ranking, Alexandre Soares desce para o 2º lugar, a Família Guimarães de Mello e Belmiro de Azevedo continuam respetivamente no 3º e 4º lugar e a Família Alves Ribeiro sai desce para o rank 6 sendo assim ultrapassado por António da Silva Rodrigues que atualmente ocupa o 5º lugar do ranking português.
1 – Família Amorim – 3.840 milhões de euros 
2 – Alexandre Soares dos Santos – 2.532 milhões de euros
3 – Família Guimarães de Mello – 1.471 milhões de euros
4 – Belmiro de Azevedo – 1.311 milhões de euros
5 – António da Silva Rodrigues – 1.038 milhões de euros

4. Distingue riqueza de capital.
Riqueza consite se nos bens que o individuo possui para  sue proveito e capital  é a riqueza mobilizada para gerar maior riqueza sob forma de lucros, por exemplo o individuo vende bens a um preço maior que o seu custo podendo assim multiplicar o seu capital.


5. Define os seguintes conceitos de capital: capital financeiro, capital técnico, capital circulante, capital fixo, capital social, capitais próprios, capital alheio, capital natural e capital humano.
Capital técnico divide-se em capital fixo e capital circulante.
Capital fixo: são os meios de produção que podem ser utilizados várias vezes, embora sofram algum desgaste com o passar do tempo e o uso (edifícios, equipamentos, meios de transporte, etc). 
capital circulante: são os meios de produção incorporados no processo produtivos de outros bens que desaparecem por inteiro após a sua utilização, ex: matérias primas, combustíveis, etc.
Capital financeiro divide-se em capital próprio e capital alheio
Capital próprio: são os meios financeiros que pertencem aos proprietários da unidade produtiva é o processo de auto financiamento.
Capital alheio: são os meios financeiros disponibilizados por terceiros que não pertençam à unidade produtiva, como por exemplo o acesso a crédito bancário, etc.
Capital humano:  conjunto de aptidões humanas (skills, know how) que permitem a capacidade de trabalho inclui a experiência e os conhecimentos dos indivíduos. O capital humano é valorizado sempre que existem investimentos na formação ou na saúde dos recursos humanos.
Capital natural: conjuntos dos recursos naturais disponíveis. Deve se promovida uma utilização racional do capital natural para não ser posto em causa o desenvolvimento sustentável do planeta (sustentabilidade).
6. Utilizando as definições do ponto 5. classifica os seguintes itens:
a) poupança pessoal de um empresário que foi mobilizada para a actividade produtiva capital financeiro
b) valores financeiros dos proprietários da empresa, afectados à produção capital próprios
c) um empréstimo bancário que a empresa contraiu capital alheio
d) maquinaria, edifícios, matérias-primas e matérias-subsidiárias empregues no processo produtivo capital técnico
e) maquinaria, edifícios, etc. que são utilizados em vários ciclos produtivos (durante vários anos)capital fixo
f) matérias-primas, que são incorporadas no produto acabado, participando num único ciclo produtivo capital circulante
g) montante de recursos financeiros colocados à disposição de uma empresa pelos seus sócios capital social
h) recursos naturais capital natural
i) factor produtivo trabalho capital humano

7. Partindo da apresentação popular na Internet Suiça vs Portugal na perspectiva de um portuguêsrefere sobre a importância relativa dos recursos naturais, do capital humano, do enquadramento cultural e normativo e dos valores no desenvolvimento dos países.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Causas e tipos de desemprego



1. Indica as três categorias profissionais com maior volume de desempregados, em 2016:

a) Homens
Operários, artífices e trabalhadores similares, Trabalhadores não qualificados, Pessoal dos serviços e vendedores

b) 
Mulheres
Pessoal dos serviços e vendedores, Trabalhadores não qualificados, Especialistas das profissões intelectuais e científicas

2. Constrói e comenta um gráfico representando a evolução das taxas de desemprego em Portugal, de 1983 até hoje, segundo o género

O sexo masculino sempre foi o género com menor taxa de desemprego exceto em 2012 em que o seu valor foi ligeiramente maior que o género feminino

3. Relaciona a mudança do perfil de especialização exigido pela economia portuguesa com a globalização das economias. Portugal produz bens de pouco valor como exemplo o vinho e a cortiça, e com a globalização das economias Portugal tem de começar a produzir bens de valor mais elevado como carros e equipamentos tecnológicos. Para isso é preciso haver um investimento na formação das pessoas ( são necessárias pessoas com alta qualificação ) e também é necessário investir na indústria para haver melhores condições para a produção desses bens

4. Explica um dos conceitos de desemprego apresentados acima, referindo porque este deverá preocupar os jovens. O desemprego tecnológico é o que preocupa mais os jovens pois os jovens têm um desafio à frente que é a tecnologia e para o superarem têm que ter uma boa formação.

5. Calcula e interpreta a taxa de desemprego, utilizando dados referentes ao 3º Trimestre de 2012.

  

 DES=PT-PI-PAE                                                     PA= PAE+DES
 9016,6 - 3489,4 - 4656,3 = 870,9                          PA = 870,9+4656,3
                                                                                 =5527,2

Taxa de desemprego = Desemprego / P.ativa x 100 
Td = 870,9 / 5527,2 = 15,8 %
O resultado da taxa de desemprego significa que em cada 100 individuos da população ativa 15,8 são desempregados

6. Consultando o Livro Verde para a Sociedade da Informaçãorefere:
a) os objectivos da Escola são: encorajar as iniciativas locais, num processo de descentralização, no sentido de se aperfeiçoarem competências de gestão e conhecimentos técnicos
b) os pilares do conhecimento são: 
- aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a viver em comum e aprender a ser
c) a formação ao longo da vida
A formação ao longo da vida sustenta-se em torno de quatro aprendizagens fundamentais, que se interligam e que constituem para cada indivíduo, os pilares do conhecimento:

7. Refere a contribuição dos seguintes aspectos para o nível de desemprego:
- banalização da compra de produtos chineses; quando compramos produtos chineses não estamos a usar produtos fornecidos pelos portugueses o que poderá dar origem ao desemprego de muitos portugueses, para evitar este tipo de situações devemos comprar produtos portugueses e não chineses.
- actividades em self-service;existiam tarefas que eram realizadas pelos comerciantes   como por exemplo ir o mercieiro ia buscar a fruta que nós pedíamos e agora nós é que vamos buscar a fruta que nós queremos ou seja deixamos de ser servidos e passamos a servir nos a nós mesmos  
- automação/automatização;
- informatização; a aplicação dos computadores transformou o modo de trabalho aministrativo, haviam tarefas que eram feitas/escritas no papel como por exemplo  os professores antes mandavam cartas aos encarregados de educação e agora basta mandar um email ou seja a informatização tornou a comunicação muito mais rápida e eficaz.
- globalização e integração económica. hoje em dia pensa se em vender os produtos á escala mundial porque os custos de transporte estão muito mais baratos o que permite uma melhor facilidade de comercialização,  como as economias integram uma economia global as decisões são tomadas á escala global porque é fácil de deslocar a produção de um país para o outro.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

A taxa de desemprego de agosto foi de 8,8% - Setembro de 2017

1. Com base na imagem acima, calcula a Taxa de Actividade, indicando as operações.
A taxa de atividade é igual á população activa a dividir pela população total x 100
Taxa de atividade = 5194,1 / 8865,3 x 100 = 58,6 %
2. Com base na imagem acima, calcula a Taxa de Desemprego, indicando as operações.
A taxa de desemprego é igual á população desempregada a dividir pela população ativa x 100
Taxa de desemprego =618,8 / 5194,1 x 100 = 11,9 %
3. Interpreta a Taxa de Actividade calculada em 1..
O resultado da taxa de atividade significa que em cada 100 indivuos da população total 58,6 individuos pertencem á população ativa.
4. Interpreta a Taxa de Desemprego calculada em 2..
O resultado da taxa de desemprego significa que em cada 100 individuos da população ativa 11,9 são desempregados.
5. Utilizando as taxas de desemprego, referentes a Setembro de 2017, no Quadro 2 (p.5) do destaque acima referido, justifica
- o género mais penalizado pelo desemprego; O género mais penalizado pelo desemprego em setembro de 2017 é o femiinino porque a sua taxa de desemprego é 9,5 que é maior do que a do género masculino cuja sua taxa  é de 7,7.
- o grupo etário mais penalizado pelo desemprego.O grupo etário mais afetado pelo desemprego é o dos jovens (dos 15 aos 24 anos) 

6. Constrói um gráfico a partir dos dados no PORDATA, que evidencie as diferenças na Taxa de Actividade entre os géneros (F/M) e entre Portugal e a União Europeia. Publica-o no blogue e interpreta-o. Preview A taxa de atividade dos homens é sempre superior á das mulher quer em Portugal quer na UE porqueos homens têm mais facilidade em arranjar trabalho que as mulheres. , e também as mulheres continuam com o peso de cuidar da habitação e dos filhos.

7. Constrói um gráfico a partir dos dados no PORDATA, que evidencie que a Taxa de Desemprego afecta de forma diferenciada os diversos grupos etários. Publica-o no blogue e interpreta-o. Preview O grupo etário mais afetado são os individuos com menos de 25 anos e os menos afetados são os indivíduos  entre os 54 e os 65 anos até 2013 , apartir de 2014 o grupo menos afetado pelo desemprego é dos individuos entre os 25 e os 54 anos mantendo se o grupo mais afetado o dos individuos com menos de 25 anos.

8. Constrói um gráfico a partir dos dados no PORDATA, que evidencie que a Taxa de Desemprego afecta de forma diferenciada em função do nível de escolaridade concluída. Publica-o no blogue e interpreta-o.  No inicio o as pessoas sem ensino eram as menos afetadas, pois elas aceitavam qualquer tipo de trabalho e as pessoas com nivel de escolaridade  secundário e pós secundário, não aceitavam qualquer trabalho pois achavam que mereciam um emprego que fosse proporcional ao seu nível de ensino. Atualmente as pessoas com ensino superior são as menos afetadas pois têm mais capacidades e os mais afetados são as pessoas que não têm ensino pois não têm competências.


9. Constrói a partir da população desempregada por nível de escolaridade completo - Masculino e Feminino um gráfico que evidencie como a Taxa de Desemprego varia com o género (M/F) e com a o nível de escolaridade. Publica-o no blogue e interpreta-o. Preview


sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Produção e processo produtivo

1. Indica os ramos de actividade apresentados pelas Contas Nacionais portuguesas de acordo com a classificação de Colin Clark.
As contas nacionais portuguesas desdobram a produção nos seguintes ramos de actividade
1. Agricultura, silvicultura e pesca
2. Indústrias extractivas
3. Indústrias alimentares, das bebidas e do tabaco
4. Indústria têxtil, do vestuário, do couro e dos produtos de couro
5. Indústria da madeira, pasta, papel e cartão e seus artigos e impressão
6. Fabricação de coque e de produtos petrolíferos refinados
7. Fabricação de produtos químicos e de fibras sintéticas e artificiais
8. Fabricação de produtos farmacêuticos de base e de preparações farmacêuticas
9. Fabricação de artigos de borracha, de matérias plásticas e de outros produtos minerais não metálicos
10. Indústrias metalúrgicas de base e fabricação de produtos metálicos, excepto máquinas e equipamentos
11. Fabricação de equipamentos informáticos, equipamentos para comunicação, produtos electrónicos e ópticos
12. Fabricação de equipamento eléctrico
13. Fabricação de máquinas e equipamentos, n.e.
14. Fabricação de material de transporte
15. Indústrias transformadoras, n. e.; reparação, manutenção e instalação de máquinas e equipamentos
16. Produção e distribuição de electricidade, gás, vapor e ar frio
17. Captação, tratamento e distribuição de água; saneamento, gestão de resíduos e despoluição
18. Construção
19. Comércio por grosso e a retalho; reparação de veículos automóveis e motociclos
20. Transportes e armazenagem
21. Actividades de alojamento e restauração
22. Actividades de edição, gravação e programação de rádio e televisão
23. Telecomunicações
24. Consultoria, actividades relacionadas de programação informática e actividades dos serviços de informação
25. Actividades financeiras e de seguros
26. Actividades imobiliárias
27. Actividades jurídicas, de contabilidade, gestão, arquitectura, engenharia e actividades de ensaios e análises técnicas
28. Investigação científica e desenvolvimento
29. Outras actividades de consultoria, científicas e técnicas
30. Actividades administrativas e dos serviços de apoio
31. Administração pública e defesa; segurança social obrigatória
32. Educação
33. Actividades de saúde humana
34. Actividades de apoio social
35. Actividades artísticas, de espectáculos e recreativas
36. Outras actividades de serviços
37. Actividades das famílias empregadoras de pessoal doméstico. actividades de produção de bens e serviços pelas famílias para uso próprio
38. Actividades dos organismos internacionais e outras instituições extra-territoriais

Os ramos de atividade do setor primário encontram se no ponto 1 e 2, os do setor secundário do ponto 3 ao 18 e do setor terciário do ponto 19 ao 38.
2. Aponta ramos de actividade considerados:
a) indústrias ligeiras; 3. Indústrias alimentares, das bebidas e do tabaco
1. Agricultura, silvicultura e pesca
4. Indústria têxtil, do vestuário, do couro e dos produtos de couro
5. Indústria da madeira, pasta, papel e cartão e seus artigos e impressão
b) indústrias pesadas;2. Indústrias extractivas
10. Indústrias metalúrgicas de base e fabricação de produtos metálicos, excepto máquinas e equipamentos

c) indústrias modernas;28. Investigação científica e desenvolvimento
11. Fabricação de equipamentos informáticos, equipamentos para comunicação, produtos electrónicos e ópticos
12. Fabricação de equipamento eléctrico
13. Fabricação de máquinas e equipamentos, n.e.
d) indústrias tradicionais.10. Indústrias metalúrgicas de base e fabricação de produtos metálicos, excepto máquinas e equipamentos
3. Indústrias alimentares, das bebidas e do tabaco
3. Calcula a produtividade dos sectores I, II e III em 1995 e em 2009. Justifica a alteração da estrutura sectorial do emprego ao longo deste período, e refere o cenário mais plausível da sua evolução após 2009.A alteração deve-se ao facto do setor terciário ter maior produtividade de 1995 para 2009 do que os outros dois setores de atividade e como a sua produtividade era maior esse setor tinha maior condição para pagar os seus trabalhadores.



4. Constrói um gráfico ilustrativo da questão 3. (PREVIEW) e comenta-o.